Troféu Diana Jones de Jogos de Mesa Está Desaparecido



Uma relíquia do passado que poucos nos Brasil sabem do que se trata, um prêmio que provavelmente está agora numa caixa em algum armazém igual a Arca da Aliança. O icônico troféu Diana Jones Award desapareceu, mas James Wallis, autor e criador do prêmio que celebra a excelência em jogos de mesa diz que isso é uma oportunidade para renovação!


Toda essa história remete ao antigo e famigerado RPG de mesa. No anos 80, a editora tinha uma divisão no Reino Unido que era responsável por importar os produtos americanos, reinterpretá-los para o público britânico, mas também criar seu próprio material. Essa galerinha depois iria formar o arcabouço do que seria o editorial da Games Workshop. Mas calma... uma coisa de cada vez.


Peter Adkison segurando o prêmio em 2001


Além de tudo, a TSR tinha os direitos de licenciamento da LucasFilm e isso resultou na criação de The Adventures of Indiana Jones Role-playing Game. Em 1985 essa licença expirou, o RPG foi tão ruim que a editora britânica decidiu fazer algo elaborado com todas as cópias restantes e as incendiou numa pira. Mas era tão péssimo assim? Bom, o jogo não tinha criação de personagem, você só podia jogar recriações dos dois primeiros filmes com os personagens principais e o Indiana Jones não podia morrer. Ou seja, esse RPG de mesa era o equivalente do que ET o Extraterrestre era para o Atari 2600. No entanto, a última cópia do livro teve um destino reservado, além de cuidadosamente chamuscada, ela foi enclausurada numa pirâmide de acrílico. No auge da indecisão do que fazer com a pirâmide, eles decidiram dar de presente para um grupo de autores e editores de fanzine liderados por Ian Marsh (que depois se tornaria editor chefe da revista White Dwarf que existe até hoje) e entre esse pessoal estava James Wallis. Anos depois Marsh se casou e teve que se livrar de tralhas infantis como os adultos costumam fazer. A pirâmide por sua vez foi parar na mão de James Wallis e ainda sem saber o que fazer com o objeto, após uma década deliberando, surgiu a ideia de presentear os melhores criadores da indústria na GenCon 2001. No site oficial dizia: "Liberado da TSR Hobbies por forças desconhecidas e consequentemente acabou em custódia de um dos membros do comitê Diana Jones". Equipe essa formada por aproximadamente 15 autores, designers e criadores do círculo pessoal de Wallis.


Em 2016, Eric Lang foi um dos últimos a receber o troféu


Dentre a longa lista de vencedores anuais temos nomes que talvez sejam mais famosos do que o prêmio em si. O primeiro vencedor foi Peter Adkison em 2001, um designer da Wizards of the Coast que pude conhecer em pessoa e encontrar no mesmo ano tanto no Encontro Internacional de RPG como na Expo RPG & Co, durante sua visita ao Brasil. Ele estava promovendo o lançamento de uma nova edição do Star Wars RPG oficial, desta vez usando o aclamado d20 System.


Muitos outros premiados vieram depois, como o jogo de cartas revolucionário Dominion, o jogo de tabuleiro Ticket to Ride, o RPG de mesa Fiasco, o webshow Tabletop criado por Will Wheaton, o evento GenCon, e autores como Robin D Laws e Ron Edwards (autoridades quando o assunto é estudos sobre RPG). A última pessoa conhecida a poder tocar no troféu foi a autora Alex Roberts em 2019 pelo RPG de relacionamentos Star Crossed. Ela enviou o troféu por correio do Canadá em setembro de 2020 para outro vencedor Maurice Broaddus em Indianapolis, mas o objeto nunca chegou no seu destino.


A perda do troféu em si é uma tragédia, mas Wallis também vê isso como uma oportunidade. “Fico profundamente triste que isso tenha deixado a minha vida, mas se agora isso vai parar no reino dos mitos, este troféu que mais ninguém da indústria de jogos vai poder segurar de novo, é um destino adequado."


Wallis também compartilhou o impacto que o prêmio teve na vida de muitos. “As pessoas chegam pra mim e dizem que só de serem indicados ao Diana Jones já mudou a vida profissional delas para melhor. É extraordinário poder fazer isso pela carreira de alguém. Porém, talvez este bloco de acrílico de 35 anos não seja mais a representação apropriada do que o prêmio Diana Jones se tornou.”


O Comitê Diana Jones, se formou e continua sendo formado por integrentes anônimos com o objetivo de se manter imparcial, sem favoritismos ou influências indevidas. Hoje ele é organizado pelo autor e designer Matt Forbeck, e continua em expansão. Além de destacar indivíduos, jogos ou o conceitos através da premiação, o Diana Jones também está reconhecendo astros brilhantes com a esperança de moldar o futuro da indústria.


“Os restos chamuscados do RPG de Indiana Jones são realmente o que queremos como símbolo daqui pra frente?” disse Wallis. “Eu nunca sugeriria jogar fora o troféu existente e arranjar outra coisa, mas agora que o troféu velho sumiu, talvez seja a hora certa para procurar algo novo.”


Alex Roberts ainda se sente responsável pelo ocorrido, mas fica feliz que ajudou a dar um novo rumo para o comitê. “É uma infelicidade que tenha sido dessa maneira, mas sinto que qualquer coisa que eles escolham vai representar melhor o prêmio, tanto para a indústria dos RPGs de mesa, como do cenário de jogos em geral."


Fonte: Polygon

Publicações em Destaque
Publicações Recentes
Archive
Busca por marcadores /
Search by tags
Follow Us
  • Patreon
  • Curadoria Steam
  • SalsaTheOne
  • Salsa nos seus Jogos
  • SalsaTheOne